Downloads

ARGUMENTOS: Segurança do Glifosato para a saúde humana, animal e meio ambiente

03 de abril de 2019

Dúvidas sobre a segurança do glifosato para a saúde humana, animal e meio ambiente e seus benefícios ambientais? Confira os argumentos abaixo:

SEGURANÇA DO GLIFOSATO – Trata-se de um herbicida usado em diversos países há mais de 40 anos cujas características apresentam reduzido impacto ao meio ambiente e à saúde humana, possuindo uma das maiores bases de dados gerados para um agroquímico. Esses dados têm sido avaliados e reavaliados por inúmeros testes conduzidos ao longo de vários anos pelas principais agências regulatórias e organizações científicas mundiais, como a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), a Comissão Europeia, a Agência de Saúde do Canadá e a Organização Mundial da Saúde, que concluíram que o glifosato não possui propriedades carcinogênicas, mutagênicas, teratogênicas ou que causem qualquer problema reprodutivo em animais.

Em 2013, como parte do trabalho de reavaliação do glifosato na Europa, o Instituto Federal de Avaliação de Risco (BfR) da Alemanha avaliou mais de 150 novos estudos toxicológicos e reavaliou aproximadamente 300 estudos existentes considerando os padrões exigidos atualmente na condução de estudos e na interpretação de seus resultados. A avaliação feita pelo instituto BfR corrobora aquelas anteriormente realizadas pelas principais agências regulatórias do mundo.

Além disso, o Glifosato está sendo reavaliado pela Anvisa (2019) e esta agência concluiu em sua Nota Técnica que não há evidências suficientes que comprovem que o Glifosato é responsável por causar câncer, mutações, malformação congênita, interferir no funcionamento dos hormônios, provocar danos ao sistema reprodutor ou ser mais perigoso para o homem do que foi verificado nos estudos realizados em animais.  A Anvisa também concluiu que os riscos relacionados a ingestão de Glifosato que, eventualmente, esteja contaminando os alimentos e a água, está abaixo do nível de preocupação. Isso significa que, segundo os sistemas de vigilância de alimentos e água que a Anvisa utiliza para monitorar o risco dietético, os alimentos e a água para consumo humano não apresentam resíduos de Glifosato em valores acima do que se considera risco para as pessoas.

ASPECTOS AMBIENTAIS DO GLIFOSATO – As propriedades do glifosato que lhe conferem uma maior segurança ambiental quando comparado a outros ativos são: biodegradação microbiana em solo e água, forte ligação à maioria dos tipos de solo lhe confere baixa mobilidade no solo e reduz sua lixiviação, alta solubilidade em água e volatilidade muito baixa, além de ausência de bioacumulação nos tecidos de animais terrestres e aquáticos. Quanto à sua ação sobre microrganismos, os estudos realizados indicam pouco ou nenhum efeito na microflora.

PLANTIO DIRETO E O BENEFÍCIO AMBIENTALO plantio direto é um sistema de produção agrícola essencial para o uso sustentável do solo, pois reduz ou elimina os problemas de erosão e contribui para a preservação da fertilidade dos solos. Consiste no plantio de uma nova cultura sobre os restos vegetais da colheita (palhada) da cultura anterior, sem a necessidade de revolver o solo. O glifosato é usado para controlar as plantas daninhas em meio à palhada, e se tornou uma importante ferramenta para a implementação de Plantio Direto. A disseminação desse sistema de cultivo só foi possível, em grande medida, pela aplicação de herbicidas eficientes como o glifosato. O Plantio Direto propicia melhor retenção de umidade no solo, favorecendo o rendimento em anos secos, redução de ocorrência de erosões, compactação menor do solo e redução do tempo de semeadura. O desenvolvimento da segunda safra de milho (safrinha) na região central do país também se deve, em grande parte, ao desenvolvimento do plantio direto. Um cenário sem o glifosato provocaria retrocesso no uso do plantio direto, com prejuízos para o meio ambiente.

Clique aqui para fazer o download do arquivo PDF.

A reprodução é permitida, desde que citada a fonte do material.
Crédito: GIPEG (Grupo de Informação e Pesquisas sobre Glifosato) – 
www.glifosatoinfo.org.

CONTATO